Accordous

6 dicas para reduzir a inadimplência nos aluguéis

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram

Acesso Rápido

A inadimplência costuma ser um problema recorrente no Brasil, então, pensando nisso, trouxemos 6 dicas para reduzir esse empecilho no ramo dos aluguéis. 

Existem algumas formas de combater a inadimplência nos aluguéis, como ações judiciais ou formas de cobrança. No entanto, você também pode optar pela via extrajudicial, isto é, resolver de forma amigável. 

A priori, é interessante destacar que a inadimplência ocorre quando algum pagamento não é realizado dentro da data convencionada. Se o seu inquilino não pagou o aluguel, ele está inadimplente. 

Quem lida com pagamentos periódicos, como os próprios aluguéis, está suscetível a esse tipo de acontecimento, sendo um desafio fazer com que os seus locatários estejam em dia. 

Nesse cenário, vemos que a inadimplência pode afetar de diversas formas negativas o seu negócio, como na gestão de aluguéis, e você deve adotar maneiras de diminuir essas ocorrências. 

Você, como administrador de aluguéis, não pode deixar essa prática se tornar comum no seu negócio, até porque, isso pode significar um aumento no cancelamento do serviço. 

Sendo assim, vemos que existem diversos métodos para reduzir a inadimplência dos clientes, e hoje trouxemos 6 dicas para que você consiga fazer isso. 

O impacto que a inadimplência tem em uma gestão de aluguéis

Quando estamos lidando com negócios que precisam de pagamentos frequentes, como aluguéis, você pode ter que investir em alguns custos a fim de gerir melhor esse negócio. 

Esses investimentos podem ser, por exemplo, plataformas ou softwares, sem contar com consultorias para os seus serviços. 

Por essa razão, vemos que a inadimplência prejudica, inclusive, o crescimento e expansão de um negócio. 

Logo, você não deve medir esforços para conseguir a redução desse problema, tendo em vista a projeção de melhora dos seus serviços. 

Automatização é primordial 

Além das nossas dicas, que exploraremos a seguir, uma instrução interessante é a de adotar processos automatizados, isto é, atualize processos manuais do seu dia a dia profissional. 

Você deve usar a tecnologia ao seu favor, e para isso existem algumas plataformas digitais que te ajudam a gerir aluguéis. 

Com a automatização, com ganha tempo para expandir o sue negócio e economia custos que estavam impedindo o desenvolvimento da empresa. 

Como reduzir a inadimplência de aluguéis

Agora que você já tem uma visão mais geral sobre a inadimplência de aluguéis, vamos explorar então alguns métodos que devem estar presentes na sua gestão a fim de reduzir a inadimplência de aluguéis. 

Tudo o que falaremos a seguir pode ser adaptado para a realidade do seu negócio, assim, você terá melhores resultados. 

1: Adote um sistema de gestão 

O primeiro passo para reduzir a inadimplência de aluguéis é ter em suas mãos o controle das informações sobre os seus locatários, e a melhor forma de fazer isso é se organizar, adotando um sistema de gestão. 

Contar com um bom sistema para gestão de pagamento, que vai retratar como o seu cliente lida com o processo de pagamento. 

Esse sistema estará responsável por montar um fluxograma, com o objetivo de determinar as etapas do pagamento. 

Para isso, contrate um serviço ou profissionais da equipe, dando-lhes o encargo de acompanhar a inadimplência, bem como a melhora dos pagamentos. 

De acordo com o tamanho dessa operação, você determinará quantas pessoas ficarão responsáveis, se uma única pessoa ou uma equipe inteira. 

Essas pessoas poderão otimizar o processo de cobrança, acionando diversos tipos de contato com os inadimplentes – por SMS, ligação ou e-mail. 

Caso não seja possível ter essa equipe, você mesmo pode adotar um roteiro interessante de organização essa ação. 

Destaque-se que muitas pessoas ainda fazem esses processos de forma manual, porém, adotando um sistema, você poderá ter um controle bem melhor do quadro geral. 

2. Tenha compromisso com o acompanhamento 

A fim de adotar os melhores métodos possíveis, e seguir à risca uma estratégia eficaz, você precisa ter compromisso com o acompanhamento dos pagamentos. 

Ao acompanhar sempre, você tem uma visão melhor de como pode otimizar algumas etapas do processo, e em quais momentos você falhou. 

Ademais, com esses processos sendo acompanhados de perto, você verá o que é tendência no seu mercado de aluguéis, tornando o serviço mais atrativo. 

Identifique, também, se o problema dessa inadimplência pode ser a data que vocês acordaram para o vencimento. 

O acompanhamento faz com que você perceba os motivos de o seu cliente não estar em dias com o pagamento. 

Contudo, essa é uma tarefa a ser feita em grupo, envolvendo todo o time responsável. 

Então, alinhe os profissionais que você delegou para ficarem responsáveis no setor de finanças, vendas e até mesmo no atendimento. 

Um exemplo disso é que o time de vendas esteja no encargo de acompanhar a situação do pagamento nos primeiros dias após concluir o processo de venda. 

Depois disso, o atendimento estará responsável por fidelizar o cliente e acompanhar a sua atividade financeira. 

Por fim, o setor de finanças tomará conta dessa tarefa. 

3. Certifique-se de criar a sua régua de cobrança efetiva

No processo de cobrança, é importante criar a sua regra de cobrança efetiva, em que consiste nos espaços de tempo e formas para lembrar o seu inquilino do pagamento. 

Essa régua de cobrança é efetiva para lembrar sobre os pagamentos que estão atrasados e os próximos do vencimento, suspensos ou cancelados pela inadimplência. 

Dentre os principais métodos para cobrar um cliente podemos citar a ligação, o e-mail ou SMS. 

Esses meios podem ser combinados uns aos outros, mas o e-mail costuma ser o principal. 

Essa régua deve ser pensada com a finalidade de prevenir a inadimplência, reforçando que eles precisam estar em dias com o serviço que contratou. 

Pensando nisso, crie mensagens, com linguagem não agressiva, para os clientes, cada uma para um período diferente, por exemplo, alguns dias antes e depois do vencimento. 

Coloque nomes que chamem a atenção como “lembrete” ou “aluguel atrasado”. 

Nos casos do SMS, eles podem ajudar para reforçar a sua intenção com o e-mail, mas você deve ter a certeza de que o dono desse número é o seu cliente, tendo em vista a volatilidade dos números telefônicos. 

4. Crie uma área especial para o seu cliente 

Criar uma área especial para o seu cliente vai garantir a otimização dos processos de pagamento, além de outras mobilidades. 

Com isso, é possível que diversas situações cadastrais ou financeiras já sejam solucionadas nessa área, sem burocratizar nenhuma etapa. 

Do ponto de vista da empresa, esse é um investimento, afinal, você estará tornando muitas etapas mais simples de serem resolvidas, sendo o principal exemplo a emissão de boletos em segunda via. 

Nessa área, você pode permitir a alteração dos dados pessoais, forma de pagamento, pesquisa sobre a situação das faturas e outros tipos de consulta. 

5. Suspensão do serviço na plataforma

Caso você ofereça aos seus clientes um serviço de software, é interessante pensar na possibilidade de suspender o acesso desse serviço, claro que nos casos de inadimplência. 

Não existe nenhuma fórmula para ter sucesso no seu negócio, busque entender os seus clientes, encontrando, então, o equilíbrio do serviço e o pagamento. 

Diversos serviços, que contam com muitos assinantes, suspendem o acesso em pouco tempo, caso o usuário não tenha realizado o pagamento, ou até mesmo o “downgrade” (diminuir os benefícios de um plano contratado). 

Caso você não queira suspender o serviço de maneira automática, uma opção interessante é começar devagar, 15 ou 20 dias após o não pagamento. 

Lembrando somente que essa suspensão precisa ser comunicada antes de tomar qualquer atitude, como o cancelamento do serviço ou algo parecido. 

Se você puder, procure enviar o boleto para o cliente em uma área específico da plataforma, para que o inquilino possa atualizar seus dados relativos ao cartão de pagamento.

6. Adote boas práticas para reduzir a inadimplência

Outras práticas que você pode adotar para reduzir essa inadimplência seria uma política de cobrança, melhorando a eficiência do processo de pagamento. 

Por esse motivo, organize os seus contatos e qual seria a finalidade para eles e aplique a sua política, isto é, como seria a forma de cobrar para cada uma das situações. 

Além disso, outra prática interessante é que você entenda e desenhe os tipos de devedores, afinal, cada um apresenta as suas próprias necessidades, influenciando o caso em específico da inadimplência. 

Portanto, identifique a situação dos devedores, e os categorize, dividindo então cada grupo com base em sua importância e a forma de lidar com o caso. 

Esteja aberto para realizar acordos

Por fim, esteja aberto para a possibilidade de realizar acordos, isso porque evitar uma ação judicial pode ser a melhor forma de solucionar os seus casos. 

Isso porque demandas judiciais costumam demandar tempo e energia. Então, adote boas práticas que evitam e reduzem a inadimplência dos aluguéis.

Dúvidas? Deixe seu comentário abaixo!

LEIA MAIS: Como se tornar um administrador de imóveis de sucesso – Guia Completo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *