Accordous

Como Calcular o Reajuste do Aluguel

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram

Acesso Rápido

É possível definir o reajuste de aluguel como um procedimento fundamental em qualquer contrato de aluguel (locação). Abaixo, vamos conferir quais são os principais dados e cuidados que você deve ter para calcular o reajuste do aluguel. 

No cenário brasileiro, vemos que há um percentual muito alto de imóveis que são locados, em que as pessoas usam para fins de moradia. Com isso, ao findar cada ano, os contratos de locação devem passar por um reajuste no valor do aluguel. 

Como essa é uma marca anual, em um determinado período os locatários devem fazer o cálculo do reajuste do seu aluguel. Porém, é perceptível que existem muitas dúvidas sobre esse assunto. 

Isso porque a maioria dos gestores imobiliários têm outras responsabilidades na sua gestão de imóveis, logo, esse reajuste pode passar despercebido. 

A fim de não cometer esses erros, e ocasionar possíveis prejuízos, é necessário entender como é feito o cálculo relativo ao reajuste do aluguel. 

No entanto, caso você queira se sentir mais seguro em relação a isso, uma opção interessante é investir na Accordous. Além de reajustar os valores dos aluguéis de forma automática, o sistema da Accordous também pode ser configurado para enviar as notificações acerca dos contratos próximos ao vencimento. 

Dito isso, vamos entender a seguir como calcular o reajuste do aluguel. 

Mas, afinal, o que é o “reajuste do aluguel”? 

Antes de adentrar no tema em si, é interessante conceituar o que seria o reajuste do aluguel. Entende-se que essa reajuste seria uma atualização de um valor que foi estabelecido para ser pago todo mês, referente à locação de uma propriedade. 

Com base no que está disposto na famosa lei do inquilinato (n° 8.245/91), a atualização ou a correção no valor do aluguel ocorre com o passar de 12 meses. 

Sendo assim, essa seria uma medida que visa a correção do valor do aluguel, de forma que ele acompanhe as taxas e índices do cenário econômico. Esse cálculo costuma ser feito com a presença de ambas as partes, chegando a um acordo. 

Porém, você pode tomar como base algumas referências, que tentam chegar a um valor mais justo para os envolvidos. O inquilino e o proprietário podem, então, negociar um valor novo para esse aluguel ou aplicar um índice nacional de reajuste. 

Nesse cenário, uma outra forma de calcular o reajuste do aluguel é inserindo uma cláusula específica no contrato de locação, ou alterando, se necessário. 

Para isso é importante que você tenha uma bom amparo profissional na hora de redigir um contrato de locação, outro serviço encontrado na plataforma da Accordous.

Índice de Reajuste 

Como foi dito acima, um dos critérios para reajustar o valor do aluguel é justamente o índice para tal, então vamos conferir o que isso significa. 

Conceito de índice de reajuste 

É perceptível como os valores dos serviços e produtos sofrem um reajuste e atualização no valor de forma periódica. Com base nisso, foi criado o índice de reajuste se trata de uma ferramenta com a função de atualizar os valores atuais de um contrato de aluguel. 

A base dessa atualização deve ser o mais transparente possível, precisando colocar isso no contrato. O intuito dessa atualização é fazer com que o aluguel acompanhe as oscilações do mercado, bem como a (des)valorização do real, a fim de não haver muito prejuízo. 

Principais índices usados para atualizar o aluguel 

Dentre tantos índices e requisitos que você pode adotar para reajustar o aluguel, podemos citar dois como os principais para que você atualize o valor, que são o IGP-M e o IPCA. 

O IGP-M é o Índice Geral de Preços de Mercado, cujo cálculo ocorre a encargo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O sue objetivo é publicar todos os meses uma variação do valor em relação aos produtos que são destinados a um cliente final. 

No caso do IPCA, ou Índice de Preços ao Consumidor Amplo, o cálculo é feito pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), em que a inflação dos produtos e serviços é registrada, com divulgação em período trimestral. 

Melhor forma de escolher um índice que reajusta o aluguel

Com base nos índices principais dessa atualização do aluguel, o IGP-M e IPCA, você deve entender cada uma das suas características para saber qual seria a melhor opção. 

A priori, destaque-se que o IGP-M costuma ser um pouco mais alto, como valor acumulado. No ano de 2021, o percentual do IGP-M se encontra muito alto, o que pesa, de maneira significativa, para os inquilinos. 

Tendo em vista a instabilidade em diversos cenários no Brasil, principalmente o financeiro, é importante analisar como esse reajuste será feito para não sair no prejuízo nem perder o inquilino. 

Dessa forma, o IPCA pode ser o índice que melhor se encaixe no seu caso, por se tratar de um percentual com menor valor. Essa seria uma opção mais estável, deixando os inquilinos mais satisfeitos. 

Cálculo do reajuste do aluguel em 2021 

Antes de começar o cálculo do reajuste do seu aluguel em 2021, se baseando em novos índices, é de suma importância que o contrato seja revisado, a fim de entender se existe alguma cláusula sobre o reajuste e qual o mês de referência. 

Com essas informações em mãos, você deve procurar um profissional ou uma plataforma, como a Accordous, para lidar com o reajuste do aluguel. 

Como é feito o cálculo com o IGP-M 

O cálculo de reajuste feito com base no IGP-M pode ser mais complexo, afinal, envolve valores acumulados. Pensando nisso, o próprio Banco Central apresenta em seu site a chamada Calculadora do Cidadão, em que faz o reajuste do aluguel com esse índice. 

Ao entrar no site, você escolhe o índice IGP-M, informa o início do contrato (data), preenche com a data final e registra o valor que deve ser corrigido. 

Tomando como março de 2021 como referência, o valor para fazer o reajuste estava de 33,72%, e se o aluguel for de R$ 1.000,00, o novo valor será de R$ 1.327,28. 

Reajuste de aluguel com base no IPCA

Como foi dito acima, o IPCA é divulgado trimestralmente, ocorrendo em dezembro, setembro, junho e março. Além do IPCA, que é nacional, também o IPCA-E, sendo com base na região e de periodicidade diversa. 

A calculadora do Banco Central também serve para fazer esse reajuste, e no mês de março, em 2021, o percentual foi de 6,17%, com o aluguel sendo então R$ 1.061,74, com o reajuste. 

Converse com o inquilino sobre o reajuste 

Por mais que esse tema seja de âmbito nacional, as partes envolvidas em um contrato de locação devem acordar com esse reajuste, explicando todos os detalhes possíveis. 

Como locador, você deve esclarecer tudo que o inquilino apresenta como dúvida, mantendo uma relação harmoniosa entre vocês. Destaque também qual será o índice, bem como os métodos usados nesse cálculo. 

Nesse momento, reforçamos a importância de ter uma plataforma como a Accordous para te ajudar a redigir um contrato de locação. Esse documento é importante para assegurar os seus direitos e deveres. 

Os contratos da plataforma são 100% automatizados, podendo gerá-lo em instantes e enviar para assinatura eletrônica ou digital. 

Dentre os serviços oferecidos pela Accordous, você pode anunciar os seus imóveis, receber propostas, analisar o perfil do inquilino e ter um orçamento de 10 seguradoras, comparando os seus preços. 

Não perca tempo e agende uma reunião com o especialista. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *